Menu fechado

Projeto Memória de uma Imprensa Alternativa entra na fase de execução

O projeto Memória de uma Imprensa Alternativa já começou a fase de execução, com o preparo preliminar para a digitalização das coleções dos jornais Movimento, Opinião e Versus, que integram o acervo do Centro de Documentação do Movimento Operário Mário Pedrosa (Cemap). Disponibilizar o acesso às edições desses três importantes veículos alternativos de resistência democrática que circularam durante o período da ditadura “infelizmente ganha ainda mais relevância nos dias de hoje”, avalia a diretora-geral de Cemap-Interludium, Lúcia Pinheiro. “Com a tragédia do momento político que estamos vivendo, sob uma mal disfarçada ditadura, não necessariamente a imprensa alternativa, mas sim a imprensa independente se impõe.”

Lúcia explica que a digitalização propriamente está prevista para começar por volta de 5 de setembro. A etapa atual é de higienização e tratamento físico. Cemap-Interludium é responsável pelo acervo do Cemap, que está custodiado no Centro de Documentação (Cedem) da Unesp. O Cedem realizou um pequeno vídeo que mostra o trabalho em curso e explica a importância do projeto. “Todo processo de tratamento documental passa pela primeira ação que é a higienização, o tratamento físico”, diz a historiadora Yara Cristina Gabriel no vídeo. “A grande luta é manter o original o mais fidedigno e o mais preservado possível.”

Depois da digitalização, o material será catalogado, para facilitar o acesso às edições individuais. O projeto Memória de uma Imprensa Alternativa, do Cemap-Interludium, foi um dos selecionados pela Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo no fim de 2018 para receber recursos do Edital de Apoio à Digitalização de Acervos.

Jornal Movimento nº 138“Em essência, o projeto busca a preservação documental de três coleções completas e importantes, com edições dos anos 1970 até comecinho dos anos 1980, que relatam a história de resistência daquele período. São jornais conhecidos como de resistência ao período da ditadura militar. O Opinião e o Movimento, mais especificamente, são jornais que realmente se colocavam como oposição ao governo, com campanhas bastantes tensas, especialmente o movimento em prol da anistia”, conta Sonia Troitiño, coordenadora do Cedem, no vídeo.

Movimento, Opinião e Versus não eram porta-vozes de grupos sindicais ou revolucionários, mas jornais que surgiram durante o período da ditadura como alternativa à grande imprensa, muito mais suscetível à censura e outras formas de controle. Eles ocuparam em boa parte o vácuo deixado pelos jornais de esquerda, que foram postos na ilegalidade e praticamente deixaram de existir. Seu impacto como fonte de denúncias, ou simplesmente de temas culturais e locais censurados nos jornalões, foi imenso e é uma parte da nossa história que merece ser preservada e divulgada.

“A imprensa alternativa, formada por profissionais altamente qualificados, divulgava as ideias dos partidos, dos sindicatos, dos movimentos e das instituições para que se debatesse. Ela foi fundamental na luta contra a ditadura, e tinha uma função muito importante: por meio da leitura desses jornais o povo se organizava”, explica Solange de Souza, historiógrafa do Cedem.

Jornal Versus, 1979“No vídeo realizado pelo Cedem sobre este nosso projeto, quase tudo foi dito sobre a importância da imprensa alternativa no período da ditadura, quando não havia liberdade, a começar pela de imprensa”, completa Lúcia. “Num e noutro período histórico, fica clara a importância de uma imprensa independente, comprometida com a verdade da notícia, que se constitui em fundamental ferramenta de resistência democrática.”

Solange acrescenta no vídeo que a importância do projeto, “para além da questão de preservar e digitalizar, é possibilitar que os pesquisadores tenham acesso a essa documentação utilizando o instrumento de pesquisa do site do Cedem.

O Cedem fica na Praça da Sé, 108, 1º andar, em São Paulo. Interessados em consultar os acervos podem entrar em contato pelo telefone (11) 3116-1701 ou pelo e-mail pesquisa@cedem.unesp.br.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.