Menu fechado

A desocupação do Pinheirinho

Derrubaram o Pinheirinho, dirigido por Fabiano Amorim, é um documentário que conta a história dos quase 6.000 moradores da ocupação Pinheirinho, em São José dos Campos. Em pouco mais de 85 minutos, o filme narra a trajetória da comunidade que em 2004 ocupou um terreno abandonado há mais de 20 anos, construiu nele suas casas e lutou para regularizá-lo e continuar nele, até ser brutalmente despejada por forças policiais, há um ano.
O terreno em que essas pessoas moravam desde 2004 estava abandonado, mas era de propriedade de uma empresa que havia falido em 1989, a Selecta, pertencente ao empresário Naji Nahas. Em julho de 2011, a Justiça ordenou que as famílias fossem retiradas de lá. Em 22 de janeiro de 2012, uma força de cerca de 2.000 soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo realizou a reintegração de posse, colocando todos os 6.000 para fora. A maioria deles saiu apenas com a roupa do corpo. No mesmo dia em que os moradores foram retirados do terreno, os tratores começaram a derrubar as casas com todos os pertences dos moradores dentro; o que é totalmente ilegal.

Essas pessoas além de perderem o teto, perderam tudo o que tinham, tudo o que compraram em quase oito anos de trabalho. A maioria das famílias era bem pobre, ganhava entre 0 e 3 salários mínimos, o que é bem pouco num Estado com alto custo de vida como São Paulo.

O governo, em vez de regularizar a situação dos quase 6.000 moradores, preferiu expulsar todos eles do terreno e criar um imenso problema social na cidade. Este documentário conta a história completa do Pinheirinho, desde a origem do terreno até a ocupação em 2004, as várias tentativas de acabar com a ocupação, as tentativas de segregar os moradores, as falsas promessas da prefeitura em regularizar o terreno e a reintegração em janeiro de 2012, até os fatos mais próximos de janeiro de 2013, quando o filme foi finalizado.

Fabiano Amorim mantém o blog Jornalismo Alternativo e pode ser contatado pelo e-mail fabiano.silva.amorim@gmail.com.

Vale a pena ler a matéria feita pelo jornalista Paulo Nogueira sobre o documentário no Diário Centro do Mundo.

Também vale a pena ver o minidocumentário “O Massacre de Pinheirinho: A verdade não mora ao lado“, feito pelo Coletivo de Comunicadores Populares dois dias após a violenta desocupação.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.