Menu fechado

Debate marca publicação de ‘Contradições que movem a história do Brasil e do continente americano’

Contradições que movem a história do Brasil e do continente americano foi lançado em 28 de outubro, com um debate na Associação dos Professores da PUC-SP (Apropuc). É o primeiro livro da série “Diálogos com Vito Letizia”, organizado por Cemap-Interludium a partir de quase cem horas de entrevistas. Nelas, Vito preferiu partir da gênese da Revolução Francesa de 1789 para explicar todo o processo histórico subsequente, até chegar ao Brasil atual.

Ao editar a série, Cemap-Interludium optou por “iniciar pelo fim”, atendendo ao imperativo da necessidade: os tópicos abordados são da mais absoluta urgência para a esquerda brasileira. Referem-se ao caminho aberto pela empreitada colonial que resultou, cinco séculos depois, na formação do Partido dos Trabalhadores (PT) e da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e na condução de Luiz Inácio Lula da Silva ao posto de presidente da República.

No livro, publicado pela Editora Alameda, Vito analisa a história do Brasil e de outros países do continente à luz dos movimentos populares e a contrapõe ao discurso oficial. Os argumentos de Vito abrem uma ou várias avenidas para reavaliações bastante complexas sobre o lugar relativo do Brasil no continente americano, e sobre a formação da própria sociedade brasileira. Suas interpretações questionam e colocam sob novas perspectivas fatos da história do Brasil que, normalmente, são aceitos como óbvios, e criam, com isso, a abertura de novos caminhos de atuação para aqueles que estão comprometidos com a transformação social do país.

Cemap-Interludium também promoverá debates de lançamento de Contradições que movem a história do Brasil e do continente americano na Universidade Católica do Salvador (UCSAL), em 15 de novembro, e na USP, em 25 de novembro. O encontro na Apropuc teve como debatedores o historiador Antonio Rago, professor da PUC e integrante do conselho editorial da revista Projeto História, e a filósofa Isabel Loureiro, professora aposentada de Filosofia da Unesp e colaboradora da Fundação Rosa Luxemburgo. A mediação ficou a cargo do jornalista José Arbex Jr., professor da PUC-SP e integrante de Cemap-Interludium. Confira o vídeo do debate:

Parte 1 – exposição da professora Isabel Loureiro

Parte 2 – exposição do professor Antonio Rago

Você pode se interessar por:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.