Menu fechado

Diálogos com Vito Letizia 2

‘As Origens das Aspirações Modernas de Liberdade e Igualdade’ chega às livrarias

Cemap-Interludium lançou As Origens das Aspirações Modernas de Liberdade e Igualdade, o segundo livro da série “Diálogos com Vito Letizia”, que reúne as discussões sobre a Revolução Francesa e a social-democracia europeia. Nele, Vito aponta que os teóricos marxistas formados no contexto da Revolução Russa negligenciaram a conexão entre a Revolução Francesa e a formação das reivindicações da classe trabalhadora durante o período de surgimento da social-democracia europeia, na segunda metade do século 19, ao ponto de que hoje esses dois momentos parecem estar completamente dissociados.

E, no entanto, em julho de 1789, foi o povo insurgente de Paris que tomou a Bastilha, e exatos cem anos depois, na mesma cidade, num congresso socialista convocado para celebrar essa ação, Friedrich Engels propôs a fundação de uma nova internacional, a 2ª Internacional. Ação muito clara e determinada de reconhecimento à luta travada por milhões de mulheres e homens em defesa de suas aspirações de liberdade e igualdade. A afirmação de que se reconhecer nessas lutas do passado significa reivindicá-las como próprias, significa reivindicar para a luta socialista as jornadas da Revolução Francesa.

Para Vito, a Revolução Francesa é um ponto de partida não apenas para entender a gênese da propriedade burguesa e do modo de produção capitalista, como também o antagonismo entre a classe trabalhadora e a burguesia e o processo contemporâneo de desagregação social.

Se por um lado, negativamente compreendida, ela liberou o desenvolvimento do modo de produção moderno ao pôr fim à sociedade feudal, por outro lado, positivamente compreendida, ela trouxe, de uma só vez, ao mundo moderno os princípios da liberdade e da igualdade, radicalizado pelo movimento da classe trabalhadora e que depois orientou a construção das instituições de seguridade social nos Estados sociais da Europa do pós-guerra. O fim do desacreditado bloco comunista e a lenta dissolução dos Estados sociais europeus nos mostram o quanto é custoso se distanciar desses princípios.

Para Vito, a Revolução Francesa é um ponto de partida não apenas para entender a gênese da propriedade burguesa e do modo de produção capitalista, como também o antagonismo entre a classe trabalhadora e a capitalista e o processo contemporâneo de desagregação social.

As Origens das Aspirações Modernas de Liberdade e Igualdade, com prefácio de Denis Collin, pode ser adquirido nas principais livrarias ou no site da Editora Alameda.

Você pode se interessar por: