Menu fechado

O sindicalismo volta à cena e marca o declínio da ditadura

A história das lutas das organizações populares contra o capital confunde-se com a da defesa de seus militantes presos e mortos pela polícia e pela justiça dos patrões.

A história das lutas das organizações populares contra o capital confunde-se com a das lutas em defesa de seus militantes presos e mortos pela polícia e pela justiça dos patrões. Lembramos aqui nossos combatentes.

previous arrow
next arrow
Slider

Semiárido e Arendt: notas de uma experiência revolucionária possível

Daniel Arruda Nascimento*

Neste artigo, o professor Daniel Arruda Nascimento publica o discurso que fez em 27 de março, na solenidade de posse da nova diretoria eleita do Campus Senador Helvídio Nunes de Barros, unidade da Universidade Federal do Piauí (UFPI) em Picos. Ao narrar o movimento que levou à eleição de uma chapa de oposição, Daniel faz uma reflexão sobre as experiências revolucionárias da greve de professores universitários brasileiros, particularmente em uma universidade do sertão piauiense.

A educação no balcão de negócios do sr. Haddad

“(…) é o Estado que, ao contrário, necessita receber do povo uma educação muito rigorosa.” (Karl Marx)

Danilo Chaves Nakamura*

No dia 26 de outubro de 2012, o candidato Fernando Haddad disse – em debate eleitoral transmitido pela Rede Globo – que honraria os compromissos já firmados com o magistério, ou seja, que seu governo incorporaria as gratificações e as bonificações nos salários. O adversário José Serra prometeu que daria um reajuste acumulado de 25%, uma decisão já encaminhada por seu vice, Alexandre Schneider, secretário municipal de Educação na gestão de Gilberto Kassab. Haddad, em sua tréplica, procurou desmascarar a promessa de Serra, afirmou que esse aumento é uma lei já aprovada e garantiu que o futuro governo do PT cumpriria tudo o que já foi firmado com a categoria.1Assista ao vídeo do debate no YouTube.

“Dia Mães de Maio”

Agora é definitivo: 12 de maio será o “Dia Mães de Maio” no calendário oficial do Estado de São Paulo. O decreto, publicado no “Diário Oficial”, é um passo importante na luta das mães que tiveram seus filhos mortos pela Polícia Militar entre 12 e 20 de maio de 2006 – um dos maiores massacres da história da “democracia” brasileira, em que mais de 400 jovens foram assassinados sem qualquer direito a defesa.

‘Só a união latino-americana permite enfrentar o império’, diz Chávez

José Arbex Jr.

Nesta entrevista a José Arbex Jr., publicada pela revista Caros Amigos em 2004, o dirigente político sul-americano Hugo Chávez nos oferece a oportunidade de entender as profundas transformações políticas e sociais colocadas em marcha na Venezuela nos últimos 20 anos pelo Movimento Bolivariano, seu forte apoio popular e o ódio que provoca na elite social e política do país, subserviente fiel dos interesses norte-americanos.

Sua morte prematura, no dia 5, inaugura uma nova etapa no processo político do país vizinho, com impactos importantes na América do Sul. Nas ruas, praças e avenidas de cada cidade venezuelana há manifestações de dor e pesar pela morte de Chávez. Num futuro não muito distante, seja por conta do processo eleitoral seja para preservarem e ampliarem conquistas sociais, políticas e econômicas, ocuparão esses mesmos espaços públicos na defesa da democracia e da independência nacional. Estamos com eles na dor e na luta.”

Luta pela revogação da Lei da Anistia em tempos de democracia?

O título contém uma contradição explícita, pois um dos pressupostos básicos do regime democrático é ter se estabelecido com base na supressão de todas as estruturas, políticas e jurídicas, que davam “sustentabilidade” ao regime ditatorial.

Contudo a contradição se encontra não no título, mas no conteúdo político das transformações que se desenvolveram no período chamado de transição da ditadura para o regime democrático atual.

O tema da luta pela anistia nos anos 1970 é emblemático da distância que há entre a vontade expressa pelos movimentos sociais – anistia ampla, geral e irrestrita – e o arremedo jurídico montado pelo antigo regime, que se denominaria de anistia parcial e recíproca, consubstanciado no decreto nº 6683, de 28 de agosto de 1979.

A desocupação do Pinheirinho

Derrubaram o Pinheirinho, dirigido por Fabiano Amorim, é um documentário que conta a história dos quase 6.000 moradores da ocupação Pinheirinho, em São José dos Campos. Em pouco mais de 85 minutos, o filme narra a trajetória da comunidade que em 2004 ocupou um terreno abandonado há mais de 20 anos, construiu nele suas casas e lutou para regularizá-lo e continuar nele, até ser brutalmente despejada por forças policiais, há um ano.

Por um verdadeiro estado de emergência

Minicurso sobre o pensamento de Walter Benjamin

O coletivo Interludium, reflexões anticapitalistas tem o prazer de divulgar neste site as cinco aulas do minicurso sobre o pensamento do filósofo alemão Walter Benjamin, organizado pelo grupo Desvios entre abril e maio de 2010. O curso “Por um verdadeiro estado de emergência” contou com especialistas e professores que estudam e simpatizam com pensamento de Benjamin, como Isabel Loureiro, Gilberto Bercovici, Caestarlos E. J. Machado, Jeanne Marie Gagnebin, Maurício Cardoso, José Sergio Fonseca, Jorge Grespan e Paulo E. Arantes, e teve um imenso público.