Menu fechado

Tag: Lula

Campanha Lula Livre na Itália

Ato de solidariedade ao ex-presidente Lula em Roma

Comitato Italiano Lula LivreRoma será a primeira capital do calendário de atividades que mobilizará centenas de cidades mundo afora em torno de um único ideal: ver Lula livre!

Quinta-feira, 4 de abril, às 18 horas em Roma (13 horas no horário de Brasília)
Auditório da Central Geral Italiana do Trabalho (CGIL)
Via Corso Itália, 25 – Roma

O ato de solidariedade do dia 4 de abril, em Roma, organizado pelo Comitato Italiano Lula Livre, marca o início da nova etapa da Campanha Lula Livre, bandeira para a restauração da democracia, do Estado de Direito e do devido processo legal no Brasil. Lula preso é a impossibilidade de restaurar o projeto político contra as desigualdades socioeconômicas e educacionais no país. O ex-presidente Lula, candidato ao Prêmio Nobel da Paz, é um prisioneiro político, mantido isolado, há um ano, em uma cela da Polícia Federal em Curitiba, depois de condenado sem provas materiais.

Jornada Lula Livre no Brasil e no exterior

Atos Lula Livre no Brasil e no mundoAções em várias cidades marcam um ano da prisão de Lula

A Jornada Lula Livre, para marcar um ano da prisão política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, terá atos e manifestações no Brasil e em mais de 15 países. O movimento pela libertação de Lula denuncia o caráter político de sua prisão e o processo difamatório e injusto de que é vítima. A Campanha Lula Livre vai transmitir flashes das manifestações pelo Youtube. Veja lista dos eventos que já estão confirmados nos Estados e no mundo.

Campanha Lula Livre

Campanha Lula Livre 1Todo apoio aos comitês Lula Livre

No sábado, o Encontro Nacional Lula Livre definiu a nova etapa da campanha pela libertação do ex-presidente. Entre as principais decisões estão o reforço e ampliação dos Comitês Lula Livre, a participação nos atos do Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência, nesta sexta-feira, e a organização de uma jornada de luta de 7 a 10 de abril, para marcar o aniversário de um ano da prisão de Lula. Cemap-Interludium dá todo o apoio aos Comitês Lula Livre e à campanha pela libertação do ex-presidente. No dia 20, saiu o primeiro boletim da campanha Lula Livre.

Opinião

Ato 6 de abril de 2018, pela libertação de LulaA vida continua!

Nivaldo Bastos

Tenho visto, após a eleição um tal grau de desespero que até parece que um tsunami arrasou com o país e agora é barbárie, pau de arara, etc.

Até boas lideranças de esquerda passaram a atuar como pastores religiosos, anunciando quase o fim do mundo e, como se fosse por vontade divina, nada se pode fazer.

Talvez se esconder em uma gruta…

Calma gente!! Foi só uma eleição e, como nos acostumamos a ganhar – o que ressaltou muito o caráter eleitoral do partido em detrimento de suas origens sindicais –, gerou um desânimo, porque agora só temos uns poucos deputados a nos defender.

Continua muito importante o PT como expressão política do projeto de sociedade dos trabalhadores. Isso está bastante enraizado em grande parte da população, que disse não ao projeto individualista e destemperado do Ciro, apoiando mesmo que com muitas reservas a opção Haddad; afinal o PT é o ÚNICO partido que sobreviveu no país.

Mas o Brasil não é uma ilha. O globo ainda é governado pelas corporações e seus políticos. Em muitos países, até com mais conquistas sociais do que o nosso, partidos de extrema direita nacionalista e racista têm sido alçados ao poder. É uma conjuntura desfavorável, agravada pelo fato de a esquerda ainda não ter encontrado uma forma de se livrar da tradição horrorosa das experiências stalinistas.

O pensamento prático da liberdade

Uma resenha de Contradições que movem a história do Brasil e do continente americano, de Vito Letizia.

Emmanuel Nakamura

Uma amiga e colega do grupo Interludium costuma dizer que somos – refiro-me à “ala jovem” do grupo Interludium – “filhotes do Vito”. Talvez por esse motivo seja para mim tão difícil escrever uma resenha sobre o livro do Vito Letizia:1Primeiro volume de “Diálogos com Vito Letizia”, Contradições que movem a história do Brasil e do continente americano foi lançado em 28 de outubro de 2014. falta-me talvez um distanciamento crítico não apenas em razão dos nove anos amizade com ele, mas fundamentalmente porque fui educado pelo Vito Letizia a pensar a política. Assim como a educação que recebemos de nossos pais tem o objetivo de que seus filhos possam viver uma vida universal ao prepará-los para a vida em sociedade, foi com o Vito Letizia que recebi a educação para pensar essa vida universal em seu âmbito político. Por isso, resenhar esse livro tem para mim também o difícil significado de distanciamento autocrítico.

É a conjuntura, estúpido

José Arbex Jr.

“Seria mais fácil explicar os protestos quando eles ocorrem em países não democráticos, como no Egito e na Tunísia, em 2011, ou em países onde a crise econômica elevou a índices assustadores o número de jovens desempregados, como na Espanha e na Grécia, do que quando eles ocorrem em países com governos populares e democráticos – como no Brasil, que atualmente exibe os menores índices de desemprego de sua história e uma expansão sem paralelo dos direitos econômicos e sociais. Muitos analistas atribuem os recentes protestos à rejeição da política. Creio ser precisamente o contrário: eles refletem o desejo de ampliar o alcance da democracia, de encorajar as pessoas a participarem de uma maneira mais plena.”

O diagnóstico é feito pelo ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, em artigo de sua autoria, publicado no jornal estadunidense The New York Times, em 16 de julho. Lula está certo. Os jovens que tomaram as ruas querem mais do que aquilo que já têm.