Menu fechado

Segunda chance

Lançamento de "Solidão Revolucionária", de José Castilho Marques Neto, no Cedem

Para quem perdeu o debate do dia 23, o professor José Castilho Marques Neto também vai lançar seu livro Solidão Revolucionária – Mário Pedrosa e as origens do trotskismo no Brasil na sede do Centro de Documentação e Memória (Cedem) da Unesp no dia 31. O livro, em edição revista e ampliada, é essencial para compreender as origens da esquerda no Brasil. No evento, Castilho vai discutir o tema com os historiadores Dainis Karepovs e Danilo César, o economista Markus Sokol e o cientista social Marco Aurélio Nogueira.

‘Solidão Revolucionária’ ganha nova edição

José Castilho Marques Neto relança "Solidão Revolucionára"

O professor José Castilho Marques Neto relança hoje seu clássico sobre Mário Pedrosa e o grupo de militantes que se aglutinou à sua volta nos conturbados anos 1920-1930. Um debate com os historiadores Francisco Foot Hardman e Dainis Karepovs vai abrir o evento de lançamento, na Livraria da Travessa, às 19 horas. Não percam!

Nas palavras de Castilho, Solidão Revolucionária é “a história intelectual da origem de um aguerrido e bem formado grupo de ativistas dos anos 1920/1930, aglutinados em torno” de Mário Pedrosa. “Eles fizeram história na formação do pensamento e da política da esquerda brasileira e este livro procurar resgatar a importância que tiveram no ainda atual debate político de interpretação do Brasil.”

Libelu – Abaixo a ditadura estreia na TV aberta

Pixação Abaixo a ditaduraO documentário Libelu – Abaixo a ditadura, do diretor Diógenes Muniz, será exibido pela TV Cultura às 23 horas desta quinta-feira, 31 de março, para marcar a data do golpe de 1964. O filme, vencedor do 25º festival “É Tudo Verdade” em 2020, resgata a trajetória da tendência estudantil Liberdade e Luta, que surgiu em 1976 e ganhou notoriedade nos anos 1970 e 1980 ao levantar a bandeira “Abaixo a Ditadura”.

Soou o alarme: a crise do capitalismo para além da pandemia

Novo livro de Soleni Biscouto Fressato e Jorge Nóvoa da editora perspectiva, traz uma reunião de textos de diversos intelectuais, professores, historiadores e economistas sobre a crise do capitalismo para além da pandemia da Covid-19.

Neste contexto, a obra apresenta um denso debate acerca das fragilidades e graves inconsistências do modelo capitalista, em especial o neocapitalismo, que vêm corroendo a vida de milhões de pessoas em extrema vulnerabilidade social, esgotando os recursos naturais da terra de maneira sistemática e criando uma crise climática sem precedentes. Indicando a precarização do trabalho, o aumento vertiginoso das desigualdades sociais, a aniquilação da cultura e do meio ambiente como foco central da discussão.

Libelu – Abaixo a Ditadura 2020

Imagens da Libelu

Documentário dirigido pelo cineasta e jornalista Diógenes Muniz, é selecionado para “É Tudo Verdade 2020”, maior festival de documentários da América Latina. Sua fase presencial fora adiada para o mês de setembro devido à pandemia do Sars-Cov-2.

Revista “Sociologias Plurais” lança dossiê “Mário Pedrosa 120 anos”

Mário Pedrosa no Chile
Mário Pedrosa no Chile (acervo do Cemap).

A publicação do programa de pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) vai lançar o dossiê “Mário Pedrosa, 120 anos”, com o objetivo de tornar o crítico de arte e militante e sua obra ainda mais conhecidos. Cemap-Interludium já está fazendo seu projeto sobre Mário Pedrosa, que inclui várias ações de preservação e difusão digital do acervo do Centro de Documentação do Movimento Operário Mario Pedrosa (Cemap), que está sob a guarda do Centro de Documentação e Memória (Cedem) da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

‘A enfermidade da saúde pública no Brasil’

O médico sanitarista Lucio Barcelos, colaborador habitual do site de Cemap-Interludium, está lançando seu livro A enfermidade da saúde pública no Brasil, pela Editora AGE. Trata-se de uma coletânea de artigos focada na abertura do debate sobre o sistema de saúde público, debate que o autor considera “imprescindível diante do desmantelamento sofrido por esse sistema nos últimos anos e sua substituição pelo setor privado de saúde, com inegável prejuízo à grande maioria da população.”