Menu fechado

Na luta contra o capital, os trabalhadores são levados a exigir a libertação de seus militantes presos pela polícia e condenados pela justiça dos patrões. Recuperamos neste espaço a memória de algumas dessas lutas.

A história das lutas das organizações populares contra o capital confunde-se com a história das lutas pela libertação de seus militantes jogados aos cárceres pela polícia e pela justiça submetidas aos patrões.
Vamos recuperar, neste espaço, a memória de algumas lutas memoráveis travadas em defesa de nossos combatentes.

A história das lutas das organizações populares contra o capital confunde-se com a história das lutas pela libertação de seus militantes jogados aos cárceres pela polícia e pela justiça submetidas aos patrões.
Vamos recuperar, neste espaço, a memória de algumas lutas memoráveis travadas em defesa de nossos combatentes.

O DOI-Codi, o mais conhecido centro de tortura da ditadura, foi criado em 2 de julho de 1969, na esteira do AI-5.

O DOI-Codi, o maior e mais conhecido centro de tortura da ditadura, foi criado em 2 de julho de 1969, na esteira do Ato Institucional Número 5 (AI-5).

O DOI-Codi, o maior e mais conhecido centro de tortura da ditadura, foi criado em 2 de julho de 1969, na esteira do Ato Institucional Número 5 (AI-5).

anterior
próximo
Slider

Coletivo de proteção à embaixada da Venezuela desafia ordem ilegal de ‘não invadir’

Coletivo embaixada da VenezuelaAtivistas ocupam o prédio já faz mais de um mês, com autorização do governo venezuelano, para impedir que os EUA o entreguem ao representante de Juan Guaidó. Desde 24 de abril, quando os diplomatas venezuelanos foram embora, o coletivo enfrenta o assédio de grupos pró-Guaidó acampados na frente da embaixada, e das autoridades americanas, que impedem a entrada de alimentos e bebidas e na semana passada cortaram o fornecimento de luz e água. Na segunda-feira, a polícia tentou despejar os ocupantes com uma “ordem judicial” sem assinatura.

Entidades discutem preservação documental

1º Encontro Paulista de Patrimônio Histórico-DocumentalNestes tempos em que a história e a memória estão sob ataque direto até do próprio Estado, entidades e profissionais da área de acervos de São Paulo vão se reunir pela primeira vez para discutir linhas de atuação para preservar e divulgar patrimônios documentais. O 1º Encontro Paulista de Patrimônio Histórico-Documental acontece entre os dias 13 e 15 de maio e é aberto a todos os interessados.

Leia mais

Guia traz dicas de como lidar com a violência em manifestações

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo disponibiliza em seu site uma cartilha para orientar os profissionais que enfrentam situações de violência e intimidação ao cobrirem manifestações e protestos de rua. Embora seja voltado para jornalistas, muitas sugestões do guia são válidas para qualquer pessoa que vá a uma manifestação e se depare com as já rotineiras ações truculentas da polícia. Veja a cartilha na web ou a versão para impressão.

Mobilização contra a reforma da Previdência

Ato contra reforma da previdênciaCom a tentativa do governo de retomar a votação na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, as mobilizações contra a reforma da Previdência voltam a crescer e as centrais sindicais preparam um manifestação monstro para o 1º de Maio. A CUT abriu um site específico, chamado Na Pressão, para ajudar os trabalhadores a pressionarem os deputados da comissão contra a proposta. Além das manifestações e protestos, movimentos sociais e sindicatos intensificam o esforço para informar os trabalhadores de todos os prejuízos embutidos na reforma, com uma agenda cheia de debates e seminários nos próximos dias. Também circula na internet uma cartilha que resume em 44 itens os maiores problemas com relação à reforma da Previdência.

Movimentos de Cultura de São Paulo

Frente Estadual chama reunião para discutir ação unificada

Frente Estadual da Cultura chama reunião A Frente Estadual de Cultura SP (FEC-SP) está convocando os trabalhadores da área da cultura e os movimentos organizados para uma reunião na quinta-feira, dia 11, para discutir como enfrentar os ataques e o processo de desmonte do setor protagonizados pelo governo João Doria (PSDB). O objetivo da frente é duplo: de um lado, organizar o setor para deixar de simplesmente reagir a cada ataque individual, e começar a definir pautas para a construção de políticas culturais estruturantes para o Estado. A reunião está marcada para as 18 horas, na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Campanha Lula Livre na Itália

Ato de solidariedade ao ex-presidente Lula em Roma

Comitato Italiano Lula LivreRoma será a primeira capital do calendário de atividades que mobilizará centenas de cidades mundo afora em torno de um único ideal: ver Lula livre!

Quinta-feira, 4 de abril, às 18 horas em Roma (13 horas no horário de Brasília)
Auditório da Central Geral Italiana do Trabalho (CGIL)
Via Corso Itália, 25 – Roma

O ato de solidariedade do dia 4 de abril, em Roma, organizado pelo Comitato Italiano Lula Livre, marca o início da nova etapa da Campanha Lula Livre, bandeira para a restauração da democracia, do Estado de Direito e do devido processo legal no Brasil. Lula preso é a impossibilidade de restaurar o projeto político contra as desigualdades socioeconômicas e educacionais no país. O ex-presidente Lula, candidato ao Prêmio Nobel da Paz, é um prisioneiro político, mantido isolado, há um ano, em uma cela da Polícia Federal em Curitiba, depois de condenado sem provas materiais.